Um pouco da história…

Um dos meios de comunicação mais difundidos do mundo é a televisão, com praticamente 100 anos de História, a evolução da Televisão é algo realmente incrível!

Podemos dizer que é um dos meios mais populares também, pois só no Brasil, estima-se que 97% das residências possuem o aparelho, contra pouco mais de 50% da Internet.
Mas o caminho para essa popularização não foi fácil, e nem barato, pois as TVs passaram por diferentes fases e evoluções até chegar no patamar que conhecemos hoje.

Foram muitas as pessoas envolvidas na criação de novas pesquisas e tecnologias para a construção da transmissão de imagens.
Tudo remonta na descoberta do selênio na final do século XIX, e invenção da célula fotoelétrica. Já em 1906, é criado um sistema por rádio catódico, que podemos dizer que é base dos monitores CRT, que falaremos mais para a frente.

Mas foi apenas entre 1925 e 1928 que foram realizadas de forma significativa transmissões de imagens em um aparelho; de forma muito rudimentar e muito pouco definidas, mas considera a primeira transmissão do aparelho de televisão. Esse feito foi alcançado pelo engenheiro escocês John Logie Baird.

Em terras tupiniquins…

Em junho de 1939, a primeira exibição de televisão no Brasil foi realizada durante a Feira de Amostras. Nela foi apresentado um aparelho da empresa alemã Telefunken.

A primeira emissora brasileira foi a TV Tupi, fundada em 1950, com a primeira transmissão de um canal brasileiro sendo no dia 1° de junho. De forma comercial, é considerado o dia 18 de setembro, com o início das transmissões!

O movimento de trazer a Televisão para o Brasil foi organizado pelo jornalista e empresário Assis Chateaubriand, que já era dono de um conglomerado de mídia, chamado Diários Associados. Ele importou cerca de 200 aparelhos dos Estados Unidos.

A estratégia era difundir a transmissão por aqui, aumentando a influência e o poder dos seus meios de comunicação. Assis espalhou os aparelhos em lugares estratégicos da cidade de São Paulo, configurando sucesso absoluto.

Os movimentos de fusão e compras, além de concessões foram diversos, como personagens icônicos do meio empresarial da comunicação sempre envolvidos, como Roberto Marinho, que já detinha o jornal O Globo, e posteriormente funda a Rede Globo de Televisão. Paralelo a isso, a Rádio Bandeirantes também instituiu sua rede de televisão, comumente conhecida como Band nos dias de hoje.

Além desses, podemos destacar outro ícone, Silvio Santos, que funda o Sistema Brasileiro de Televisão, também ousando e comprando todos os equipamentos e técnicas dos EUA.

No ramo dos empresários que já detinham rádios e aventuraram no mundo da TV, citamos Victor Costa, magnata das rádios e Paulo Machado de Carvalho, empresário influente em diversos setores da época.

Além do SBT de Silvio, outras fusões dão origem a Record, que foi adquirida posteriormente por Edir Macedo, fundador da Igreja Universal.
Também vale ressaltar que alguns desses períodos de fusões e evoluções foram durante a ditadura militar no Brasil, o que dificultou a parte editorial dos canais, que tiveram que se adequar de forma substancial seus programas segundo ordens do exército.

A evolução dos formatos

Com bobinas, os primeiros aparelhos dos anos 30 eram de apenas cinco polegadas, com definição muito fraca, e muitas distorções.
Só mais para frente, que o CRT entra em ação, são aquelas famosas TVs em caixa de madeira, que mais pareciam um móvel.

A evolução sofreu uma pausa devido a Segunda Guerra Mundial, e só após ela, que começaram os esforções para a produção de transmissões em cores. Nessa época também foi introduzido o controle remoto.
Entretanto, no Brasil, a primeira transmissão a cores e ao vivo foi acontecer só na Copa de 70, devido ao esforço do governo militar da época.
A modernização se deu conta em alguns aspectos de cores, e materiais (o plástico e os tubos ganharam vez mais espaço na década de 80 e 90).
No final do milênio e no início dos anos 2000, o LCD surge e revoluciona o mercado.

Essa tecnologia usa cristal líquido, reduzindo drasticamente a espessura das TVs e aumentando na mesma proporção a qualidade da imagem e resolução.
O formato se popularizou tanto, que em meados de 2010, a moda era aumentar cada vez mais os tamanhos das TVs, passando dos 40”, o que para época era algo enorme.
Com esse boom, surgiu também a tecnologia de plasma, que garantia mais qualidade, mas o preço mais alto e os contastes problemas técnicos tornaram a tecnologia descartada.
E falar em tecnologia descartada, outra vertente que não emplacou muito foram as TVs 3D, que não alcançaram sucesso também a valores mais altos, mas também devido à falta de conteúdo desse formato.

Hoje, a vanguarda são os aparelhos em LED, que são mais eficazes na emissão de luz, garantindo mais brilho, consequentemente uma qualidade melhor da imagem, além de um consumo menor de energia.
Outra vanguarda é na questão da resolução, pois antes o formato considerado ideal era o Full HD, com resolução de 1920×1080 pixels na tela. Entretanto, as TVs 4K (3840×2160) estão em alta no mercado, garantindo uma qualidade extrema.
Toda essa evolução, seja na parte comercial ou técnica, tece o desenvolvimento de um dos meios de comunicação mais eficaz e popular da História humana.

Diante disso, a Televisão é usada até hoje para expressar status, modos, hábitos e cultura em geral para outros povos, trazendo a informação de forma intima e assertiva, tornando parte do cotidiano de bilhões de pessoas no mundo.
Por tudo isso, podemos considerar a TV a mãe do meio de comunicação audiovisual, devido aos seus braços e formas de entregar uma mensagem como nenhuma outra plataforma consegue!

Nosso resumo da evolução da TV foi produzido com a intenção de trazer algumas curiosidades sobre esse mundo tão vasto que é a Televisão. E se você gostou dessa história, acesse sempre o nosso blog que sempre há alguma coisa bem legal por aqui!