A solda é o processo de fusão entre dois segmentos metálicos que, para que seja feito da maneira correta, necessita de prática, bons equipamentos e as melhores ferramentas para soldador.

Existem vários tipos de solda, como a de eletrodo revestido e a MIG-MAG, que são utilizadas para unir grandes estruturas de metal, o que exige EPIs específicos, como luvas, aventais e máscaras. Existe também a solda de componentes eletrônicos, que são mais delicadas e necessitam de precisão, com ferramentas menores e mais acessíveis.

Neste post você conhecerá as ferramentas para soldador utilizadas para a construção e manutenção de equipamentos eletrônicos e eletroportáteis. São ferramentas mais acessíveis, mas que devem ser utilizadas por pessoas capacitadas. Você quer saber quais são elas? Então, continue a leitura!

1. Pinças

As pinças são excelentes ferramentas para utilizarmos quando vamos trabalhar com pequenos componentes que exigem precisão em suas aplicações. Quando trabalhamos com eletrônica, temos que lidar com peças bem pequenas e frágeis, e, para soldá-las de forma correta, sem danificá-las ou prendê-las em locais errados, a utilização da pinças é essencial.

Para esse tipo de trabalho, a pinça ideal é a com formato de tesoura, que permite o acesso a locais de difícil acesso, dando um controle maior sobre a ferramenta ou objeto manipulado. Já a pinça de ponta curva, com pontas finas e curvadas em diagonal, é ideal para a remoção de peças pequenas que estiverem em locais de difícil acesso — um bom uso para elas é na remoção de chips.

2. Lupa de bancada

Ferramenta que fará dupla com a pinça, a lupa de bancada ou de mesa é um acessório que permite a ampliação e, dependendo do modelo, a iluminação de um circuito pequeno.

É uma ferramenta essencial para a redução da margem de erros, pois em circuitos muito pequenos e delicados, presentes em aparelhos modernos, como os smartphones e tablets, encostar o ferro de solda quente em locais errados pode atrasar projetos, aumentar custos por conta de retrabalhos e até mesmo danificar o produto em áreas que não existiam problemas.

Alguns modelos de lupa de bancada têm um braço articulado com diversos níveis de zoom, que podem ir de 1.8x a 20x, ideal para fazer inspeções de componentes. Para aumentar a precisão, é importante que a lupa tenha suporte de fixação na mesa, fazendo que o operador fique com as duas mãos livres para trabalhar.

3. Ferro de solda

Agora vamos falar sobre a ferramenta principal, aquela que permite a execução do trabalho, o ferro de solda. Existem vários modelos no mercado, alguns bem baratos e básicos, com 30W de potência, que permitem a soldagem da maioria dos componentes eletrônicos sem grandes dificuldades.

Um dos principais fatores que devem ser observados na aquisição de um ferro de solda é a sua ponta. Ela deve ser revestida com níquel, garantindo assim um trabalho mais rápido e sem falhas.

Por isso, evite comprar ferros de solda em lojas de utilidades — aquelas populares, de R$ 1,99 —, pois elas não são especializadas e geralmente trabalham com equipamentos de baixa qualidade, que podem desde não esquentarem o suficiente, até mesmo explodir e causar acidentes. Não faça com que o barato custe caro.

4. Estações de solda

Os ferros de solda de mão não têm a capacidade de controle de temperatura, ou seja, eles despejam a capacidade máxima de potência igualmente em qualquer componente. Ao trabalhar com uma estação de solda com controle de temperatura, você reduz mais ainda a margem de erro e aumenta a qualidade de seu trabalho com placas delicadas, como as de smartphones, por exemplo.

Com o controle de temperatura, há uma estabilidade no fornecimento de calor, mantendo um número constante, sem esbanjar potência e diminuindo o risco de danificar componentes.

5. Pasta de solda e fluxo de solda

Quem trabalha com solda eletrônica já passou pela situação de vê-la escorrendo para os lados e grudando onde não deveria. A pasta de solda vem para atenuar essa situação, pois ela faz com que o estanho se fixe com mais facilidade ao metal, ajudando no direcionamento da solda no lugar correto e deixando tudo mais firme.

Para fazer a demarcação do local com mais precisão, o ideal é utilizar um pincel para a aplicação da pasta. O fluxo de solda cumpre a mesma função da pasta, só que ele é recomendado para quem trabalha com componentes menores.

É ideal também para quem faz manutenção de placas-mãe e chips que trazem contatos muito pequenos — diferentemente da pasta, que pode ser aplicada com pincel o fluxo de solda deve ser inserido no local com uma seringa.

6. Estanho de solda

O estanho ou fio de solda é o componente que derreterá em contato com o ferro de solda e ligará a peça ao circuito da placa. É composto de bases de estanho e chumbo que são misturadas e combinadas em diversas proporções.

Tudo isso depende do objetivo da solda e da liga desejada. Alguns modelos de fio de solda trazem outros elementos em menor quantidade, como a prata, o bismuto e o antimônio.

7. Sugador de solda

É um dispositivo que ajuda na organização, limpeza e segurança de quem trabalha com solda de estanho. Ele serve para sugar restos que sobram após a fixação de um componente, tanto na peça, quanto na placa. Seu funcionamento e estrutura são semelhantes aos de uma caneta — você aperta o botão no topo, que cria um vácuo que, quando desarmado, suga a solda.

Agora que você já conhece as principais ferramentas para soldador, deve estar se perguntando onde encontrá-las. A melhor opção está, sem dúvidas, nas lojas virtuais. Na internet, além de aumentar o leque de possibilidades, você tem a oportunidade de comparar preços e obter descontos.

Em nossa loja, por exemplo, você encontra ferramentas para as mais diversas atividades, além de eletroportáteis, equipamentos eletrônicos, de informática, de áudio e vídeo com preços excelentes.

Você gostou do nosso post sobre ferramentas para soldador? Então confira agora mesmo, em nosso site, as melhores opções e com os menores preços do mercado.