Pensando em começar o ano com um modelo de TV novo e está perdido com tanta tecnologia nova no mercado? Nós te ajudamos com algumas explicações sobre esse mundo!

A tecnologia evolui muito rápido, e um dos pontos que mais ganha novidades são as formas como as imagens são captadas e transmitidas.
Um bom exemplo, é como os modelos de televisões são incrementados a todo momento com novos recursos.

Aí é que entra a confusão: com tantos recursos de definição, luz e proporção, é normal ficar confuso e não entender o monte de sigla do universo das TVs.

Por isso, nós da Colorsom trouxemos uma breve explicação das variáveis de cada modelo. Confira com a gente:

LCD

O modelo de LCD revolucionou o mercado! Esses modelos foram os primeiros constituídos de cristal líquido, trazendo muito mais qualidade as telas, além é claro da espessura dos produtos que usam essa tecnologia, afinal, antes desses modelos, monitores e TVs ainda eram de “tubo”.

Essa tecnologia ainda é bastante usada, entretanto há outro modelo ganhando bastante força no mercado, o LED.

LED

O LED, a tecnologia que utiliza diodos emissores de luz que na parte traseira do equipamento traz um melhor controle da emissão e acionamento das cores no painel frontal, trazendo uma qualidade perceptível, além de garantir sua maior vantagem em relação ao LCD, que é o menor consumo de energia.

OLED

A grande diferença, está justamente na letra “O” da sigla. Que significa “orgânico”; nesse modelo os LEDs conseguem emitir luz por conta própria, o que dispensa o uso de backlight, fazendo com que o consumo de energia seja muito mais controlado, e consequentemente menor.

Além do consumo mais energético mais baixo, esses modelos apresentam outra vantagem interessante, os diodos orgânicos trazem um tom de preto mais vivo, sem escala de cinza, além de mais nitidez no geral.

Essa tecnologia é mais encontrada em modelos de TV maiores, devido ao seu alto custo e pouca popularização.

AMOLED E SUPER AMOLED

Nesse caso, o AM adicionado ao OLED, significa Active Matrix (Matriz Ativa), tecnologia que proporciona o ativamento individual e preciso dos LEDs. Essa teologia pode ser considerada mais como um argumento de marketing, pois a grande maioria dos aparelhos em OLED já possuem essa tecnologia.

Há ainda a o modelo Super Amoled, que também é fruto de estratégias por parte do mercado, pois é criação da Samsung. Nesse caso, o aparelho usufrui de função sensível ao toque, dispensando o vidro adicional, refletindo no peso do produto, além disso, a taxa de respostas fica bem melhor.

Com esses atributos, podemos notar que a tecnologia foi concebida pensando no mercado mobile e suas demandas.

QLED

Mais uma adição a família LED, o Q é derivado da palavra Quântico, pois esses modelos utilizam de pontos quânticos para iluminar a TV, reduzindo ainda mais o consumo e aumentando o brilho.

Algumas diferenças podem ser notadas, como tons de brancos e contraste maiores, entretanto esses modelos costumam ser mais caros, devido à complexidade da sua fabricação.

Por isso, ponderar sobre as suas necessidades sobre o aparelho é muito importante. Esqueça o conceito de que tudo que é mais caro é melhor!

Compare os modelos das tecnologias e dos fabricantes, que usam argumentos e tecnologias próprias em seus aparelhos. Além disso, sempre analise o ambiente em que ficará a sua TV, se é realmente necessário tal modelo.

Esperamos ter esclarecidos essas siglas do mundo das TVs modernas da melhor forma possível. E para mais conteúdo como esse é só ficar ligado aqui no blog e na nossa página do Facebook.